Considerações sobre a formação docente na perspectiva da inclusão escolar

Patrícia Cardoso Macedo do Amaral Araujo

Resumo


Este artigo contempla uma pesquisa bibliográfica no campo da Educação, mais especificamente da área da Educação Especial, com o objetivo compreender como vem se dando a formação docente no Brasil a partir da perspectiva da educação inclusiva. Tendo em vista tais questões, a pesquisa bibliográfica, contou com referencial teórico de autores como Fernando Becker, Edgar Morin e Boaventura de Sousa Santos. Foi empregada ainda a perspectiva histórico-cultural de Vygotsky e de autores que dialogam com essa abordagem a fim de encontrar em seus conceitos aporte para as reflexões aqui apresentadas. O estudo indicou que a formação de professores, tanto a inicial como a continuada, deve estar apta para produzir conhecimentos voltados para a prática docente que aprimorem respostas para atender as demandas da diversidade dos alunos presentes na escola. A indissociabilidade da teoria e da prática é o caminho para formar professores capacitados para o pensamento crítico e reflexivo de sua ação pedagógica e criar possibilidades para atender, da melhor maneira, as demandas existentes no cotidiano escolar.


Palavras-chave


Inclusão; Formação Docente; Ensino Regular; Educação Inclusiva; Diversidade

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, K. C. V.; GLAT, R. Formação de professores na perspectiva da educação inclusiva: os Cursos de Pedagogia em foco. In: PLETSCH, Márcia Denise; DAMASCENO, Allan (orgs.). Educação Especial e Inclusão Escolar: reflexões sobre o fazer pedagógico. Seropédica, RJ: Ed. Da UFRRJ, 2011. p. 188 a 201.

ARAÚJO, M. V.; RUSCHE, R. J.; MOLINA, R.; CARREIRO, L. R. R. Formação de professores e inclusão escolar de pessoas com deficiência: análise de resumos de artigos na base SciELO. Rev. Psicopedagogia, v. 27, n. 84, p. 405-16, 2010.

BAPTISTA, M. A investigação em serviço social. São Paulo: Veras, 2006.

BECKER, F. Ensino e construção do conhecimento: o processo de abstração reflexionante. Porto Alegre. Educação & Realidade, v. 18, p. 43-52, 1993.

________. Da ação à operação: o caminho da aprendizagem: J. Piaget e Paulo Freire. Porto Alegre: Palmarinca, 1993.

________. A origem do conhecimento e a aprendizagem escolar. Porto Alegre: Artmed, 2003.

________. Entrevista "Escola e epistemologia do professor". RPD - Revista Profissão Docente, 2003.

BRASIL. Portaria nº 1.793/94 - Dispõe sobre a necessidade de complementar os currículos de formação de docentes e outros profissionais que interagem com portadores de necessidades especiais e dá outras providências. 1994.

_______. Resolução CNE/CP No 1, de 18 de fevereiro de 2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena, 2002.

_______.Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, janeiro de 2008.

_______. Resolução Nº 4, de 2 de outubro de 2009.Institui Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial. Brasília, 2009.

_______. Decreto nº 7.611, de 17 de novembro de 2011a. Dispõe sobre a Educação Especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. DiárioOficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 18 de nov. de 2011, SEÇÃO, 1, p. 12.

________. Lei Nº 13.146. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência), 2015.

BUENO, J. G. S. Crianças com Necessidades Educativas Especiais, Política, Educação e a Formação de Professores: Generalistas ou Especialistas? Revista Brasileira de Educação Especial, 1999.

CAETANO, A. M. A formação inicial de professores na perspectiva da inclusão escolar de alunos com deficiência: o curso de Pedagogia da Universidade Federal do Espírito Santo. 238 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Espírito Santo, 2009.

CAPELLINI, V. L. M. F. Avaliação das possibilidades do ensino colaborativo no processo de inclusão escolar do aluno com deficiência mental. 2004. 302f. Tese (Doutorado em Educação Especial) – Programa de Pós-Graduação em Educação Especial, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2004.

CAPELLINI, V. L. M. F; MENDES, E. G. O ensino colaborativo favorecendo o desenvolvimento profissional para a inclusão escolar. Educere et educare: Revista de Educação, Cascavel, v. 2, n.4, p. 113-128, jul./dez. 2007.

CARNEIRO R. U. C. Formação em serviço sobre gestão de escolas inclusivas para diretores de escolas de educação infantil. 2006. Tese (Doutorado em Educação Especial) – Programa de Pós-Graduação em Educação Especial: UFSCar, São Carlos, 2006.

CORRÊA, C. I. M. Habilidades sociais e educação: programa de intervenção para professores de uma escola pública. 2008. 140 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, 2008.

FONSECA-JANES, C. R. X. Análise comparativa da percepção dos estudantes do curso de Pedagogia sobre a educação inclusiva. In: MARQUEZINE, M. C. et al (Org.). Re’discutindo a inclusão. Londrina: ABPEE, 2009. p. 21-32.

GIESTA, N. C. Cotidiano Escolar e Formação Reflexiva do Professor: moda ou valorização do saber docente? Araraquara: JM editora, 2001.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GIROUX, H. Escola crítica e política cultural. São Paulo: Cortez. 1988.

GLAT, R.; BLANCO, L. M. V. Educação Especial no contexto de uma Educação Inclusiva. In: GLAT, R. (org). Educação Inclusiva: cultura e cotidiano escolar. 2. ed. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2011. p. 15-35.

HESPANHA, P. Individualização, fragmentação e risco social nas sociedades globalizadas.Revista Crítica de Ciências Sociais, v. 63, out. 2002.

HOSTINS, Regina Celia Linhares; SILVA, Cristiane de; ALVES, Adriana Gomes.COLETIVIDADE, COLABORAÇÃO E EXPERIÊNCIA: Pressupostos para a inclusão escolar e a aprendizagem de alunos com deficiência intelectual. In: Revista Teias v. 17 • n. 46 • (jul./set. - 2016): Observatórios de Educação Especial e Inclusão Escolar. 2016.

MARTINS, K. O.; NUNES, M. L. A formação docente no curso de Pedagogia. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Pedagogia) – Faculdade Católica de Uberlândia, Minas Gerais, 2011.

MEDEIROS, M. V.; CABRAL, C. L. de O. Formação docente: da teoria à prática, em uma abordagem sócio-histórica. Revista E-Curriculum, v. 1, n. 2, jun. 2006.

MENDES, E. G; VILARONGA, C. A. R; ZERBATO, A. P. Ensino colaborativo como

apoio à inclusão escolar: unindo esforços entre educação comum e especial. São Carlos: UFSCar, 2014.

MENEZES, A. R. S. de. Inclusão escolar de alunos com autismo: quem ensina e quem aprende? 2012. 160 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

MIZUKAMI, M. G. N.; REALI, A. M. M.; REYES, C. R.; MARTUCCI, E. M.; LIMA, E. F.; TANCREDI, R. M. S. P.; MELLO, R. R. Escola e Aprendizagem da Docência: Processos de Investigação e Formação. São Carlos: EDUFSCar, 2002.

MOLINA, R. Avaliação de programas de treinamento de professores para promover habilidades sociais de crianças com dificuldades de aprendizagem. 2007. 185f. Tese (Doutorado em Educação Especial) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2007.

MORIN, E. Ciência com consciência. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1996.

_________. A cabeça bem-feita. 5. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

MOTTA, M. C. Escola moderna, alunos pós-modernos: como educar. Pernambuco: Editora Unicap, 20 de julho de 2010. Disponível em: Revistas Eletrônicas da UNICAP. Acesso em: 30 ago. 2017.

OMOTE, S. Diversidade, Educação e Sociedade Inclusiva. In: OLIVEIRA, A. A. S.; OMOTE, S.; GIROTO, C. R. M. (orgs). Inclusão Escolar: As Contribuições da Educação Especial. São Paulo: Fundepe Editora, 2008. p. 15-32.

PLETSCH, M. D. A dialética da inclusão/exclusão nas políticas educacionais para pessoas com deficiências: um balanço do governo Lula (2003-2010). Revista Teias, v.12, n. 24, p.39-55, 2011.

SANTOS, B. S. Do Pós-Moderno ao Pós-Colonial. E para além de um e outro. In: CONGRESSO LUSO-AFRO-BRASILEIRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS, 7., 2004, Coimbra. Anais... Coimbra, 2004.

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

_________. Obras Escogidas V. Madrid: Visor Distribuiciones, 1997.

_________. Quarta aula: a questão do meio na pedologia. Trad.: Márcia Pileggi Vinha. Revisão Max Welcman. Rev. Psicologia USP, São Paulo, v. 21, n. 4, 681-701, 2010.

ZANATTA, E. M. Planejamento de práticas pedagógicas inclusivas para alunos surdos numa perspectiva colaborativa. 2004. Tese (Doutorado em Educação Especial). Universidade Federal de São Carlos. 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Patrícia Cardoso Macedo do Amaral Araujo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Educação, Artes e Inclusão - Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC - Centro de Artes - CEART -- Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais - PPGAV Fone: +55 (48) 3664-8314 -Laboratório Interdisciplinar de Formação de Educadores - LIFE - ISSN: 1984-3178 -- Endereço: Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC Centro de Artes Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi - Florianópolis - SC - CEP: 88.035-001 -- Email: revistaeducacaoarteinclusao@gmail.com