Resíduos agrícolas incorporados a substrato comercial na produção de mudas de repolho

Lorena Aparecida Merlo Meneghelli, Paola Alfonsa Vieira Lo Monaco, Marcelo Rodrigo Krause, Caroline Merlo Meneghelli, Louise Pinto Guisolfi, Juliana Menegassi

Resumo


Na produção de hortaliças de qualidade a formação de mudas é uma das fases mais importantes para o ciclo da cultura, influenciando diretamente no desempenho final da planta, tanto do ponto de vista nutricional como produtivo. Um dos fatores decisivos para obtenção de mudas com qualidade e consequente aumento de produtividade é o tipo de substrato utilizado. O estudo objetivou avaliar o efeito de proporções crescentes de resíduos da secagem de grãos de café (moinha) em substratos alternativos compostos de fibra de coco, casca de ovo e substrato comercial, nas variáveis de crescimento de mudas de repolho. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, com cinco tratamentos e dez repetições, sendo os tratamentos: T0: substrato comercial (testemunha); T1: 10% de moinha (MO) + 15% fibra de coco (FC) + 5% casca de ovo (CO) + 70% substrato comercial (SC); T2: 20% de MO + 15% FC + 5% CO + 60% SC; T3: 30% de MO + 15% FC + 5% CO + 50% SC; T4: 40% de MO + 15% FC + 5% CO + 40% SC. As variáveis avaliadas foram condutividade elétrica do substrato, diâmetro de coleto, número de folhas, altura de plantas e matérias secas da parte aérea, raiz e total de planta. Os maiores valores obtidos das variáveis analisadas foram obtidos no tratamento 4, no qual se utilizou-se 40% de moinha + 15% fibra de coco + 5% casca de ovo + 40% substrato comercial.


Palavras-chave


Brassica oleracea, moinha, fibra de coco, casca de ovo.

Texto completo:

PDF

Referências


ALEMAN CC & CHAVES TC. 2016. Efeito da adubação nitrogenada via fertirrigação em capim limão. Nucleus 13: 199-204.

ARAÚJO NETO SE et al. 2009. Produção de muda orgânica de pimentão com diferentes substratos. Ciência Rural 39: 1408-1413.

CAMPANHARO M et al. 2006. Características físicas de diferentes substratos para produção de mudas de tomateiro. Caatinga 19: 140-145.

COSTA LAM et al. 2013. Avaliação de substratos para a produção de mudas de tomate e pepino. Revista Ceres 60: 675-682.

COSTA LAM et al. 2014. Substratos alternativos para produção de repolho e beterraba em consórcio e monocultivo. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 18: 150-156.

COUTO TR et al. 2012. Resíduos da agroindústria como substrato na aclimatização de mudas micropropagadas de bromélia. Revista Brasileira de Ciências Agrárias 7: 242-246.

D’AVILA FS et al. 2011. Efeito do potássio na fase de rustificação de mudas clonais de eucalipto. Revista Árvore 35: 13-19.

FERREIRA DF. 2015. Sisvar. Versão 5.6. Lavras: UFLA/DEX.

FRANÇA S et al. 2011. Nitrogênio disponível ao milho: Crescimento, absorção e rendimento de grãos. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 11: 1143-1151.

LOPES JC et al. 2012. Broccoli production depending on the seed production system and organic and mineral fertilizer. Horticultura Brasileira 30: 143-150.

LOPES EC et al. 2013. Growth of mangrove seedlings under different levels of shading at the Peninsula of Ajuruteua, Bragança, Pará. Acta Amazonica 43: 291-296.

MACHADO BAS et al. 2014. Obtenção de nanocelulose da fibra de coco verde e incorporação em filmes biodegradáveis de amido plastificados com glicerol. Química Nova 37: 1275-1282.

MATOS AT. 2015. Manual de análise de resíduos sólidos e águas residuárias. 1.ed. Viçosa: Editora UFV. 149p.

MEDEIROS AS et al. 2010. Utilização de compostos orgânicos para uso como substratos na produção de mudas de alface. Revista Agrarian 3: 261-266.

MEDEIROS FM & ALVES MGM. 2014. Qualidade de ovos comerciais. Revista Eletrônica Nutri Time 11: 3515-3524.

MENEGHELLI CM et al. 2016. Resíduo da secagem dos grãos de café como substrato alternativo em mudas de café conilon. Coffee Science 11: 330-335.

MESQUITA EF et al. 2012. Produção de mudas de mamoeiro em função de substratos contendo esterco bovino e volumes de recipientes. Revista Brasileira de Ciências Agrárias 7: 58-65.

OLIVEIRA JR et al. 2013. Húmus de minhoca associado a composto orgânico para a produção de mudas de tomate. Revista Agrogeoambiental 5: 79-86.

ROSA LS et al. 2009. Emergência, crescimento e padrão de qualidade de mudas de Schizolobium amazonicum Huber ex Ducke sob diferentes níveis de sombreamento e profundidades de semeadura. Revista de Ciências Agrárias 52: 87-98.

SANTOS MR et al. 2010. Produção de mudas de pimentão em substratos à base de vermicomposto. Bioscience Journal 26: 572-578.

SILVA FAS. 2016. Assistat 7.7. Campina Grande. UFCG.

SOARES LR et al. 2009. Avaliação de Substratos Alternativos para Produção de Mudas de Repolho. Revista Brasileira de Agroecologia 4: 1780-1783.

TAIZ L & ZEIGER E. 2013. Fisiologia vegetal. 5.ed. Porto Alegre: Artmed. 954p.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/223811711732018491

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171