Pó-de-basalto no desenvolvimento de plantas de alface e na dinâmica populacional de insetos

Mártin Zanchett Groth, Cristiano Bellé, Daniel Bernardi, Raul da Cunha Borges Filho

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da aplicação de pó-de-basalto de três origens diferentes, via aplicação no solo (incorporação) e aérea (pulverização) no desempenho de plantas de alface e na dinâmica populacional de insetos fitófagos, respectivamente. Mudas de alface cv. Verônica com oito dias após a emergência foram transplantadas para canteiros após a incorporação dos pós-de-basalto. Os efeitos no desenvolvimento de plantas foram avaliados 50 dias após o transplante, e os parâmetros avaliados foram: estatura de planta, crescimento do sistema radicular, massa seca, diâmetro da inserção, volume do sistema radicular, teores de clorofila e carotenoides. A dinâmica populacional de insetos foi realizada após a aplicação de 100 g de pó-de-basalto diluídos em dois litros de água, através de quatro pulverizações com intervalos de dez dias entre cada. Amostragens foram realizadas diariamente e os insetos capturados foram triados e identificados. Houve um incremento significativo nas variáveis estaturas de planta, crescimento do sistema radicular e massa seca nos tratamentos onde houve incorporação de pó-debasalto no solo em relação ao tratamento controle. Também foi verificado um aumento significativo de 36 e 20% no teor de clorofila e carotenoides nas folhas de alface, respectivamente. Para o volume e diâmetro da inserção do caule não houve diferença significativa entre os tratamentos. A pulverização aérea em plantas de alface com soluções com pó-de-basalto influenciou diretamente a dinâmica populacional de insetos com uma redução significativa no número de indivíduos amostrados em todos os tratamentos.

Palavras-chave


flutuação populacional, Lactuca sativa, nutrição, silício.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5965/223811711642017433

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171