Características produtivas e qualitativas de genótipos de morangueiro no Planalto Catarinense

Daniel Suek Zanin, Juliana Martins de Lima, Marllon Fernando Soares dos Santos, Katiana Vanusa Tillwitz, Antonio Felippe Fagherazzi, Adrik Francis Richter, Aike Anneliese Kretzschmar, Leo Rufato

Resumo


Para produzir morangos em escala comercial, é necessário escolher as cultivares melhor adaptadas ao local de cultivo. Objetivou-se com este trabalho confrontar genótipos de morangueiro quanto a aspectos de produção e qualidade de frutos, no município de Lages, em Santa Catarina, no ciclo agrícola 2017/2018. Foram avaliados 15 genótipos, sendo cinco cultivares comerciais e dez seleções avançadas. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados, com quatro repetições, e parcelas constituídas por 11 plantas. O sistema de cultivo utilizado foi no solo, em campo aberto, em canteiros com aproximadamente 90 centímetros de largura, com três linhas de plantio por canteiro. A distância de plantio foi de 30 centímetros, entre fileiras e plantas. A cultivar Sabrina obteve a maior produção (1.231,77 g planta-1) e número de frutos (78,48 frutos planta-1). Com as seleções FRF PIR 256.4, FRF 104.1, FRF 57.6, FRF LAM 119.1 e a cultivar Pircinque se obtiveram os frutos de qualidade superior, caracterizados por médias acima de 15 para a relação sólidos solúveis / acidez titulável. No ciclo produtivo em questão, a cultivar Sabrina apresentou o melhor desempenho, demonstrando potencial para ser recomendada aos produtores da região do Planalto Sul Catarinense.


Palavras-chave


Fragaria x ananassa Duch, adaptação, genótipos avançados, cultivo no solo.

Texto completo:

PDF (English)

Referências


ANDRADE JÚNIOR VC et al. 2016. Conservação pós-colheita de frutos de morangueiro em diferentes condições de armazenamento. Horticultura Brasileira 34: 405-411.

ANTUNES LEC & PERES NA. 2013. Strawberry Production in Brazil and South America. International Journal of Fruit Science 13: 156-161.

ARIZA MT et al. 2012. Incidence of misshapen fruits in strawberry plants grown under tunnels is affected by cultivar, planting date, pollination, and low temperatures. HortScience 47: 1569-1573.

BRACKMANN A et al. 2011. Avaliação de genótipos de morangueiro quanto à qualidade e potencial de armazenamento. Revista Ceres 58: 542-547.

CARPENEDO S et al. 2016. Caracterização sensorial de morangos cultivados na região de Pelotas. Horticultura Brasileira 34: 565-570.

COCCO C. 2014. Produção e qualidade de mudas e frutas de morangueiro no Brasil e na Itália. Tese (Doutorado em Agronomia). Pelotas: UFPEL. 124p.

CORDOVA LG et al. 2017. Meta-Analysis of a Web-Based Disease Forecast System for Control of Anthracnose and Botrytis Fruit Rots of Strawberry in Southeastern United States. Plant Disease 101: 1910-1917.

COSTA AF et al. 2016. Biplot analysis of strawberry genotypes recommended for the State of Espírito Santo. Genetics and Molecular Research 15: 1-9.

CQFS-RS/SC. 2004. Manual de adubação e calagem para os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. 10.ed. Porto Alegre: Comissão de Química e Fertilidade do Solo. 404p.

FAGHERAZZI AF. 2017. Adaptabilidade de novas cultivares e seleções de morangueiro para o Planalto Sul Catarinense. Tese (Doutorado em Produção Vegetal). Lages: UDESC. 144p.

FAGHERAZZI AF. 2013. Avaliação de cultivares de morangueiro no Planalto Sul Catarinense. Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal). Lages: UDESC. 107p.

FAGHERAZZI AF et al. 2017(a). Strawberry production progress in Brazil. Acta Horticulturae 1156: 937-940.

FAGHERAZZI AF et al. 2017(b). New strawberry cultivars and breeding acitivities in Brazil. Acta Horticulturae 1156: 167-170.

FAO. 2019. Food and Agriculture Organization of the United Nations. Crops. Available in: http://www.fao.org/faostat/en/#data/QC/visualize. Accessed in: 17 apr. 2019.

FERREIRA DF. 2011. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia 35: 1039-1042.

HANCOCK JF et al. 2008. Strawberries. In: HANCOCK JF. (Ed.). Temperate Fruit Crop Breeding. Dordrecht: Springer. p.393-437.

HONJO M et al. 2016. Simple sequence repeat markers linked to the everbearing flowering gene in long-day and day-neutral cultivars of the octoploid cultivated strawberry Fragaria × ananassa. Euphytica 209: 291-303.

IAL. 2008. Instituto Adolfo Lutz. Métodos físico-químicos para análise de alimentos. 4.ed. São Paulo: IAL. 1020p.

INMET. 2019. Instituto Nacional de Meteorologia. Estações Automáticas – Gráficos. Available in: http://www.inmet.gov.br/portal/index.php?r=home/page&page=rede_estacoes_auto_graf. Accessed in: 24 jun. 2019.

KADER AA. 2002. Standardization and Inspection of Fresh Fruits and Vegetables. In: KADER AA. (Ed.). Postharvest Technology of Horticultural Crops. 3.ed. Oakland: University of California. p.287-300.

MALAGODI-BRAGA KS & KLEINERT AMP. 2007. Como o comportamento das abelhas na flor do morangueiro (Fragaria ananassa Duchesne) influencia a formação dos frutos? Bioscience Journal 23: 76-81.

MATARAZZO PHM et al. 2013. Desenvolvimento dos frutos de lulo (Solanum quitoense Lam.) em Viçosa-MG. Revista Brasileira de Fruticultura 35: 131-142.

MISHRA PK et al. 2015. Genetic variability, heritability, and genetic advance in strawberry (Fragaria × ananassa Duch.). Turkish Journal of Agriculture and Forestry 39: 451-458.

NUNES MCN. 2015. Correlations between subjective quality and physicochemical attributes of fresh fruits and vegetables. Postharvest Biology and Technology 107: 43-54.

OLIVEIRA ABC & BONOW S. 2012. Novos desafios para o melhoramento genético da cultura do morangueiro no Brasil. Informe Agropecuário 33: 21-26.

PÁDUA JG et al. 2015. Comportamento de cultivares de morangueiro em Maria da Fé e Inconfidentes, sul de Minas Gerais. Revista Agrogeoambiental 7: 69-79.

R CORE TEAM. 2013. R: A language and environment for statistical computing. Vienna: R Foundation for Statistical Computing. Available in: https://www.r-project.org/. Accessed in: 28 nov. 2018.

RESENDE JTV et al. 2008. Sensory analysis and chemical characterization of strawberry fruits. Horticultura Brasileira 26: 371-374.

RICHTER AF. 2018. Produção e qualidade de genótipos de morangueiro em diferentes sistemas de cultivo. Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal). Lages: UDESC. 105p.

RONQUE ERV et al. 2013. Viabilidade da cultura do morangueiro no Paraná-BR. Revista Brasileira de Fruticultura 35: 1032-1041.

SINGH G et al. 2018. Genetic variability and association analysis in strawberry (Fragaria x ananassa Duch). Electronic Journal of Plant Breeding 9: 169-182.

SOUZA DC et al. 2017. Propriedades físico-químicas em frutos de híbridos experimentais de morangueiro. Agrotrópica 29: 85-96.

ZANIN DS et al. 2019. Agronomic performance of cultivars and advanced selections of strawberry in the South Plateau of Santa Catarina State. Revista Ceres 66: 159-167.




DOI: https://doi.org/10.5965/223811711922020178

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171