Tendências em educação: metodologias ativas na Pós-graduação Lato Sensu

Taisa Vieira Sena

Resumo


As metodologias de ensino-aprendizagem ativas no ensino superior têm sido discutidas amplamente em face aos novos desafios contemporâneos, sendo incentivadas também na Educação Continuada. Este caminho leva a busca por excelência nos cursos de especialização, mobilizando a comunidade acadêmica a enfrentar os desafios advindos do contexto sociocultural contemporâneo, procurando se adaptar às exigências do meio social ou alterá-las de forma positiva, quando for possível. A partir de um diagnóstico das condições sociais e culturais, o envolvimento de todas as partes que constituem a Universidade identificamos inovações no processo de ensino e aprendizagem que levam a formação de profissionais com competências mais alinhadas com as novas exigências do mercado. O presente artigo busca mostrar estas novas iniciativas, abordando a experiência de TCC Integrado e Prático dos cursos de Especialização Lato Sensu da Escola de Arquitetura e Design da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Os grupos foram organizados com em média 2 integrantes de cada curso com o desafio de repensar a própria Especialização, do modelo de negócio ao edifício, os espaços (que deveriam primar pela sustentabilidade), pensando no impacto da comunidade próxima a Universidade e como organizar urbanismo tático, com foco no cenário futuro para Educação Continuada.


Texto completo:

PDF

Referências


BRASILIANO, Antônio Celso Ribeiro. Mundo Vica. Volátil. Incerto. Complexo. Ambíguo. Rio de Janeiro: QualityMark. 2014

COOLHUNTING COMMUNITY. 10 Tendências em educação. Madri. 2016. Disponível em https://www.cicae.com/wpcontent/uploads/2017/10/INFORMERESUMENTENDENCIAS-EDUCACIONCOOLHUNTING4.pdf. Acesso em 30 mai de 2018.

COSTA, A. Quatro questões sobre a noção de competências na formação de professores: o caso brasileiro. Revista de Educação. 2004. no 12.

FONSECA, Adriana. Estudo mapeia competências profissionais exigidas nos próximos anos. Valor Econômico. Disponível em: . Acesso em: 14 Abr. 2018.

OECD (2014), PISA 2012 Results: Creative Problem Solving: Students’ Skills in Tackling Real-Life Problems (Volume V), PISA, OECD Publishing. Disponível em:< http://www.oecd.org/pisa/keyfindings/pisa-2012-results-overview.pdf>. Acesso em: 14 Abr. 2018.

PAULA, Heller de. Design Sprint: O que é, quando usar e quando não usar. 2018. Disponível em: https://www.hellerdepaula.com.br/design-sprint/ Acesso em abril 2019

PIAGET, J. Problémes Géneraux de la Recherche Interdisciplinaire et Mécanismes Communs. In: PIAGET, J., Épistémologie des Sciences de l'Homme. Paris: Gallimard, 1981.

PRINCE, Michael. Does Active Learning Work? A Review of the Research. Journal of Engineering Education, v. 93, n.3, p. 223-231, 2004. Disponível em: . Acesso em: 06 Set. 2018.

SILBERMAN, Mel. Active learning: 101 Strategies to teach any subject. Boston: Allynand Bacon. 1996

VAIPE. Squad: times cross-funcionais nas organizações. 2017. Disponível em https://vaipe.com.br/blog/squad-times-cross-funcionais/. Acesso em abril 2019




DOI: https://doi.org/10.5965/25944630412020030

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Taisa Vieira Sena

Indexadores, diretórios e bases de dados

                                                   

Endereço: Lab. Moda e Sociedade - sala 51 | Av. Madre Benvenuta, 1907 - Itacorubi - Florianópolis - SC - CEP: 88035-001. 

Email: modaesociedade@gmail.com

Licença Creative Commons 
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Esta revista é um projeto interinstitucional entre os programas de pós graduação em artes, design e consumo da PPGAV/UDESC, ICA/UFC, PPGD/UFPE e PGCDS/UFRPE, com apoio da Diretoria de Ensino da Abepem.