Fragmentos e aporias da paixão em pesquisa: do amor latente Ao desejo potente

Carolina Ramos Nunes, Elaien Schmidlin

Resumo


Este artigo trata de articulações entre a paixão cega e o amor diante de um percurso de pesquisa em quatro instituições culturais, a partir do conceito de cartografia como abordagem metodológica. A escrita é tramada na busca pelo problema da pesquisa, em forma de fragmentos e aporias, que relatam o mergulho na experiência, agenciando pesquisador e objeto de pesquisa em um mesmo plano de composição. Nesse desenho cartográfico, o desejo de pesquisar vincula-se a necessidade de escrever por um viés outro, criando um universo para um deleite enamorado, que afirma o discurso amoroso.


Texto completo:

PDF

Referências


ALVES-MAZZOTI in Lucídio; MACHADO, Ana Maria Netto (Org.). A bússola do escrever: desafios e estratégias na orientação de teses e dissertações. Florianópolis: Ed. da UFSC; São Paulo: Cortez, 2006.

ARAÚJO, Rodrigo da Costa. Semiologia Do Amor: notas para uma leitura de “Fragmentos do Discurso Amoroso”, de Roland Barthes. 2008. Artigo Completo do XII Congresso Nacional de Lingüística e Filologia. Disponível em: . Acesso em: 20 de maio de 2016.

BARTHES, Roland. Fragmentos de um discurso amoroso. 14. ed. Rio de Janeiro: F. Alves, 1998.

BENJAMIN, Walter; BOLLE, Willi; TIEDEMANN, Rolf. Passagens. Belo Horizonte: Ed. da UFMG; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2006.

BORGES, Jorge Luis. O aleph (1949). São Paulo: Companhia das Letras, 2008. 156 p.

CARROLL, Lewis. Alice: aventuras de Alice no país das maravilhas & através do espelho e o que Alice encontrou por lá. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2010.

DURAS, Marguerite. Escrever. Trad. Rubens Figueiredo. Rio de Janeiro: Rocco, 1994.

DELEUZE, Gilles. Lógica do sentido. 4. ed. São Paulo: Perspectiva, 2003.

______________. A dobra: Leibniz e o barroco. 5. ed. Campinas (SP): Papirus, 1991.

DE MARTINO, Marlen Batista; CAMPOS, Cynthia Machado. Do vazio ao labirinto: o espaço e a arte contemporânea: uma história das sensibilidades e percepções sobre o espaço através da arte contemporânea. 2004 116 p. Dissertação (Mestrado), UFSC, Centro de Filosofia e Ciências Humanas.

FREITAS in BIANCHETTI, Lucídio; MACHADO, Ana Maria Netto (Org.). A bússola do escrever: desafios e estratégias na orientação de teses e dissertações. Florianópolis: Ed. da UFSC; São Paulo: Cortez, 2006.

MARTINS, Mirian Celeste; PICOSQUE, Gisa. Mediação cultural para professores andarilhos na cultura. 2ª Edição. – São Paulo: Intermeios, 2012.

PASSOS E BARROS in PASSOS, E.; KASTRUP, V.; ESCÓSSIA, L. Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2014.

PORTUGUÊS, Dicionário Online de (Ed.). Mediação: Significado de Mediação. 2016. Disponível em: . Acesso em: 22 abr. 2016.

ROSA. Guimarães. Grande sertão: veredas. Rio de Janeiro: Ed Nova Fronteira, 1988.




DOI: https://doi.org/10.5965/24471267312017058

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Grupo de Estudos Estúdio de Pintura Apotheke do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade do Estado de Santa Catarina.

ISSN: 2447-1267

Revista Apotheke é B4 em Artes no Qualis CAPES

 

 

 

revistaapotheke@gmail.com