A fotografia e o sentir: não vidência e outros sentidos.

Cristianne Melo, Ian Costa

Resumo


O Projeto A Fotografia e o Sentir compreende o ensino e a prática fotográfica junto aos alunos do IEACN - Instituto de Educação e Assistência aos Cegos do Nordeste, localizado na cidade de Campina Grande - PB. Sua realização encontra-se ancorada na oportunidade de ampliar as pesquisas sobre acessibilidade e inclusão, bem como desenvolver recursos didáticos e metodológicos ao difundir a fotografia para pessoas com deficiência visual. Deste modo, este estudo abarca de maneira não exaustiva o uso da multissensorialidade para a construção imagética, ao explorar estímulos auditivos e táteis na produção, leitura e recepção de fotografias. O texto propõe um debate sobre as contribuições da percepção e do sentir para o processo de aprendizagem e a importância de oportunizar ao aluno não vidente o papel de fonte emissora e criativa. O percurso teórico envolveu Vygotsky (1997), Schafer (2003), Duarte Júnior (2012), Alves (2009) entre outros.

 

PALAVRAS-CHAVE: Fotografia; Percepção tátil; Paisagem Sonora; Deficiência Visual; Inclusão.



Texto completo:

PDF

Referências


Referências bibliográficas

ALVES, Jefferson Fernandes. Deficiência visual e fotografia: O olhar pelo som, pelo tato e pela palavra alheia. In: V Congresso Brasileiro Multidisciplinar de Educação Especial. Londrina, 2009.

_______. O olhar pelo tato e pela voz: não vidência, fotografia e prática docente. In: Revista Educação em Questão, Natal, v. 27, n. 13, set./dez. 2006.

BAVCAR, Evgen. A Luz e o Cego. In: BAVCAR, Evgen. O ponto zero da fotografia. VSA art do Brasil, 2000. Disponivel em: . Acesso: 18.jan.2020.

D´AVILA, Renato. Teco Barbero revela mistérios da fotografia cega. In: Novo Olhar, G1-Sergipe, 2017. Disponível em: . Acesso em: 10. dez. 2019.

DONDIS, A. Donis. Sintaxe da Linguagem Visual. trad. Jefferson Luiz Camargo. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

DUARTE JUNIOR, João Francisco. Por que arte-educação? 6 ed. Campinas - Sp: Papirus, 2012.

FOULKES, Benjamin Mayer. Más allá de la mirada. (entrevista com Evgen Bavcar).

Disponível em . Acesso em: 10. dez. 2019.

CANCLINI, Nestor GARCIA. Culturas híbridas. São Paulo: Edusp, 2000.

MAIA, João. Conheça João Maia, o fotógrafo cego, 2017. Disponível em: . Acesso em: 10. dez. 2019.

MERLEAU-PONTY, MAURICE. Fenomenologia da Percepção. São Paulo: Martins Fontes, 1994.

MORICEAU, Jean-Luc; PAES, Isabela. Performances acadêmicas e experiência estética: Um lugar ao sensível na construção do sentido. In: PICADO, Benjamin (Org); et.al. Experiência Estética e Performance. Salvador: Edufba, 2014.

NUNES, Sylvia; LOMÔNACO, José Fernando Bitencourt. O aluno cego: Preconceitos e potencialidade. In: Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, SP. v. 14, n. 1, Jan/Jun, 2010.

OLIVEIRA, João Ganzarolli. Do essencial invisível: Arte e Beleza entre os Cegos. Rio de Janeiro: Revan Faperj, 2002.

População residente por tipo de deficiência permanente. IBGE, 2010. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/9662-censo-demografico-2010.html?edicao=9749&t=destaques. Acesso em: 18. jan. 2010.

RODRIGUEZ, Ángel. A dimensão sonora da linguagem audiovisual. São Paulo: SENAC São Paulo, 2006.

SCHAEFFER, Pierre. Ensaio sobre o Rádio e o Cinema: Estética e Técnica das Artes-relé 1941-1942. Belo Horizonte: UFMG, 2010.

SCHAFER, R. Murray. O ouvido pensante. São Paulo: UNESP, 2003.

TEIXEIRA, Carolina. A cultura da acessibilidade: Desafios à produção artística brasileira. In: Revista do Centro de Pesquisa e Formação SESC SP. n 06, Jun, 2018.

VILLAÇA, Iara. Arte-educação: a arte como metodologia educativa. In: Revista Cairu. Salvador, ano 03, n 04, Jul/Ago, 2014.

VYGOTSKI, Lev. S. Fundamientos da Defctologia: Obras Escogidas V. Madri: Visor, 1997.

Referências Filmográficas

JANELA da Alma. Direção de João Jardim e Walter Carvalho. São Paulo: Dueto Filmes, 2001 (73 min.).




DOI: https://doi.org/10.5965/24471267612020093

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Grupo de Estudos Estúdio de Pintura Apotheke do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade do Estado de Santa Catarina.

ISSN: 2447-1267

Revista Apotheke é B4 em Artes no Qualis CAPES

 

       

 

revistaapotheke@gmail.com

 

  

A Revista Palíndromo está disponível sob a Licença
Creative Commons - Atribuição Não Comercial 4.0 Internacional.