A importância das Artes Visuais na aprendizagem das crianças

Eliane Maria Fogliarini Moura, Marilane Maria Wolff Paim

Resumo


O processo de construção da arte avançou muito até chegar às salas de aula como expressão da linguagem e papel fundamental de transformação humana para então contribuir significativamente para o desenvolvimento cognitivo, motor e afetivo da criança, além de possibilitar a sua expressão e a percepção de mundo. A importância de se trabalhar com as Artes Visuais na rotina escolar: desenho, pintura, modelagem, recorte e colagem, contribui para a caracterização das diferentes linguagens no processo de aprendizagem, possibilitando o desenvolvimento das emoções e a estrutura para a escrita. Para tanto, o desenho traz em seu conteúdo a expressão do pensar e do sentir da criança, o desenvolvimento motor e aquisições do seu relacionamento com o meio social. Assim, é importante compreender de que maneira a linguagem artística contribui para a aprendizagem da criança, identificar as possíveis metodologias que podem ser trabalhadas e relacionar a interação da criança com o mundo que a cerca.


Texto completo:

PDF

Referências


ALBINATTI, Maria Eugênia Castelo Branco. Artes visuais. Artes II. Belo Horizonte. 2008.

BACOCINA, E. A. Alfabetização e Arte: Sobre leituras de mundo, de letras, de imagens, de vida. Revela. Periódico de Divulgação Científica da FALS Ano II - Nº 04- Jan/Mai 2009.

BARBOSA, Ana Mae. A imagem no ensino da arte. São Paulo: Perspectiva, 2010.

______. Arte Educação no Brasil: do modernismo ao pós-modernismo. São Paulo, 2003. Disponível em: http://www. revista.art.br/site-numero-00/anamae.htm Acesso em: 23 out. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BUORO, Anamália B. Interdisciplinaridade In: Inquietações e Mudanças no Ensino da Arte. 4ed. São Paulo: Cortez, 2008.

CUNHA, Suzana Rangel Vieira. Cor, som e movimento: a expressão plástica, musical e dramática no cotidiano da criança. Porto Alegre: Mediação, 1999.

DUARTE JÚNIOR, João Francisco. Fundamentos estéticos da educação. São Paulo: Papirus, 2002.

FERREIRO, Emília, TEBEROSKY, Ana. Psicogênese da Língua Escrita. Trad. Diana Myriam Lichtenstein, Liana Di Marco e Mário Corso. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.

LEI DE DIRETRIZES E BASES PARA A EDUCAÇÃO BRASILEIRA. Disponível em: www.planetaeducacao.com.br/novo/ legislacao/ Acesso em: 21/10/2019.

LUQUET, G. H. O desenho infantil. Porto: Editora do Moinho, 1969.

MOREIRA, A. A. A. O Espaço do desenho: a educação do educador. São Paulo: Loyola, 1991.

PARELLADA, C.I. Arte Rupestre no Paraná, revista científica/ Fap, Curitiba, Paraná, Brasil, v.4, n.1, p.1-25, jan./jun. 2009.

PIAGET; INHELDER, B. A psicologia da criança. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1973.

RIBEIRO, Neuci, Martins; NUNES, Ana Luiza Ruschel. 2014. Leitura de Imagem: uma compreensão crítica da arte visual. In: ConFAEB, II Congresso Internacional da Federação de Arte-Educadores; XXIV Congresso Nacional da Federação de Arte-Educadores do Brasil: Ponta Grossa-PR. 2014.




DOI: https://doi.org/10.5965/24471267532019093

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Grupo de Estudos Estúdio de Pintura Apotheke do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade do Estado de Santa Catarina.

ISSN: 2447-1267

Revista Apotheke é B4 em Artes no Qualis CAPES

 

 

 

 

revistaapotheke@gmail.com