Dewey, Ford e Monteiro Lobato: Os princípios da eficiência e da continuidade no olhar da filosofia e da literatura

José claudio morelli matos

Resumo


O artigo discute a representação da pessoa e da obra de Henry Ford, no romance O Presidente Negro de Monteiro Lobato. Pela interpretação do texto literário, formula o ideário fordista com o princípio da eficiência. Propõe criticamente o princípio da continuidade, originário da filosofia de John Dewey, como alternativa ao fordismo, para fundamentar a reflexão sobre a educação e a vida social. Emprega a literatura como instrumento de reflexão e atribuição de significado, conforme a teoria deweyana da continuidade entre a experiência estética e intelectual. As conclusões têm relevância para as questões sociais e educacionais da contemporaneidade, além de abrir um campo de estudos sobre a função da literatura em uma forma de educação que promova o crescimento da vida compartilhada. Formula, a partir de Dewey, uma crítica ao fordismo e às formas mecanicistas de organização da vida social, incluindo a educação.


Texto completo:

PDF

Referências


BARTHES, Roland. Aula - Aula inaugural da cadeira de Semiologia Literária do Colégio de França. São Paulo: Cultrix. 2000.

BIESTA, Gert. “The Communicative turn in Dewey’s Democracy and Education”. In: HANSEN, David (ed.) John Dewey and Our Educational Prospect. Albany: State University of New York Press. 2006.

DENNETT, Daniel. (1995). A perigosa ideia de Darwin. Rio de Janeiro: Rocco. 1998.

DEWEY, John. (1925). Experience and Nature. London: Allen & Unwin Ltd. 1929.

DEWEY, John. (1933). Como Pensamos. São Paulo: Cia Editora Nacional, 1979. ed.).

DEWEY, John. Democracy and education. the middle works of John Dewey – 1899-1924. Volume 9:1916. Carbondale: Southern Illinois University Press. 2008.

DEWEY, John. (1938). Experiência e educação. Petrópolis: Vozes. 2010.

DEWEY, John. (1925). Arte Como Experiência. São Paulo: Martins Fontes. 2010b.

ECO, Umberto. Seis passeios pelos bosques da ficção. São Paulo: Companhia das Letras. 1994.

FORD, Henry. Os princípios da prosperidade - Minha vida e minha obra, Hoje e amanhã, Minha filosofia da indústria. Trad. Monteiro Lobato. Rio de Janeiro: Brand. 1954.

HILÁRIO, Leomir Cardoso. “Teoria crítica e literatura: a distopia como ferramenta de análise radical da Modernidade”. In: Anu. Lit., Florianópolis, v.18, n. 2, p. 201-215. 2013.

HUXLEY, Aldous. (1932). Admirável Mundo Novo. São Paulo: Globo. 2002.

LOBATO, Monteiro. (1927). O presidente negro. São Paulo: Globo. 2009.

MATOS, José Claudio. “John Dewey e Aldous Huxley: o admirável e o impensável na formação social da mentalidade”. In: Conjectura, Caxias do Sul, v. 16, n. 3, set./dez. 2011.

MATOS, José Claudio. “A interpretação de textos e a formação da pessoa reflexiva – Sobre a concepção deweyana da leitura”. In: Educação e Filosofia. Uberlândia, v. 27, n. 54, p. 579-596, jul./dez. 2013.

MATOS e SILVA. “John Dewey e Monteiro Lobato: ambiente social e condições de crescimento no romance O Presidente Negro”. In: SABERES, Natal – RN, v. 1, n.8, 107-123, ago. 2013.

NUSSBAUM, Martha C. “Educação para o lucro, Educação para a Liberdade”. Revista Redescrições – Revista on line do GT de Pragmatismo e Filosofia Norte-americana. Ano I, número 1. 2009.

SAITO, Naoko. “Growth and Perfeccionism? Dewey after Emerson and Cavell”. In: HANSEN, David (ed.) John Dewey and Our Educational Prospect. Albany: State University of New York Press. 2006.

TEIXEIRA, Anísio. Aspectos americanos da educação – Anotações de viagem aos Estados Unidos em 1927. Rio de Janeiro: Editora UFRJ. 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/2447126743201829

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Grupo de Estudos Estúdio de Pintura Apotheke do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade do Estado de Santa Catarina.

ISSN: 2447-1267

Revista Apotheke é B4 em Artes no Qualis CAPES

 

 

revistaapotheke@gmail.com